A arte de pensar livremente

A arte de pensar livremente
Aqui somos pretensiosos escribas. Nesses pergaminhos virtuais jazem o sangue, o suor e as lágrimas dos que se propõem a pensar com autonomia. (TeHILAT HAKeMAH YIRe'aT YHWH) prov 9,10a

segunda-feira, 15 de junho de 2009

Minha flor



Em meio a um campo de flores,
Cores e odores, de atração sem fim.
Buscava então eu, homem manchado,
De devaneios, cansado, um amor
Uma flor, um bem assim.

Este campo este mundo
Enganou-me com flores,
De fragrância,horrores,
E amores não vi.

A tristeza chamou-me
A angustia abraçou-me
Fugindo a esperança,
Sozinho sofri.

Porém não sabia,o dia estaria
Raiando, rompendo, as trevas da dor
A Luz que alumia as veredas da vida
Então guiaria meus pés ao amor.

Então os meus olhos olharam o campo
Separada num canto estava a Flor.
Sorriso intenso,olhar tão ameno
Um cheiro,um encanto,eis a graça,
O favor.

O Sol a ilumina, singela menina
Faz-te bela, revela e ressalta
As cores,belas cores,
Que convidam os mais exigentes
Render-te agrados.

Oh! Tão linda Flor do campo
Tua seiva, tua essência
Alimenta e fomenta
O ardor de te amar

Foi assim como um sonho
Me acheguei a essa Flor
Estava só naquele canto,
Lindo brilho...


E ainda que no frio
Da terrível solidão
Tinha força, tinha graça
Irresistível afeto
Flechou-me o coração

Ceifei-te desse campo,do canto, da solidão
Aceitastes meu convite,
Para juntos provar que o amor tudo resiste,
Tudo espera , tudo sofre, tudo crê.

E assim começa a história
Nossa glória, nosso amor.
Quero sempre trazer à mente
Esse amor que derepente
Rompeu em tanta graça e louvor.

Estou livre dessa pane
E mui certo disso estou
Pois o sonho distante se realizou
Quando Ela, minha Flor, Kelsiane
Em meu campo foi morar.




Aproveitando a boa idea do amigo tiago e cumprindo com as atuais exigências... Apresento minha humilde criação!
Ps; não é inveja, meu amigo! é um dever!!!!
Jonathan

Um comentário:

  1. Elas merecem...mas, por hora, voltemos à angústia da teologia...

    ResponderExcluir