A arte de pensar livremente

A arte de pensar livremente
Aqui somos pretensiosos escribas. Nesses pergaminhos virtuais jazem o sangue, o suor e as lágrimas dos que se propõem a pensar com autonomia. (TeHILAT HAKeMAH YIRe'aT YHWH) prov 9,10a

segunda-feira, 22 de junho de 2009

Discordo do Discordar da Terceira Queda

Creio que o Amor está acima de qualquer verdade - verdade esta que pode ser metafísica ou real. Creio que o amor Eros completa o ser humano - mesmo que hajam pessoas que simplesmente não sentem nenhuma inclinação para ter um companheiro ao lado. Creio que em minha vida eu, talvez, escolheria o Amor ao Conhecimento - afirmação muito perigosa de se fazer, já que o conhecimento é ingrato... Uma vez que lhe é apresentado, nunca mais enxergaremos aos coisas da mesma forma!
.
Todavia amigo Jonathan, essa queda não é induzida como seu texto me levou a pensar. Essa queda simplesmente acontece. A queda não é escolhida por nós, uma vez que caimos porque nos foram tirados os alicerces. A queda é existêncial; muito mais que um sentimento, é uma condição que em dado momento passamos a nos encontrar.
.
Pelo o que eu e Thiago andamos conversando, sacrificar o Amor - como dizes no texto - não é uma escolha, do tipo Morfeu e Neo no filme matriz: "Faça sua escolha...", mas um evento que simplesmente acontece. E que acontecimento triste...
.
Se achavamos brincadeira frases como "Cuidado com o caminho que vocês estão entrando..."; "Teólogo é solitário e esquizofrênico", percebemos pouco a pouco que a brincaderia está se tornando mais séria.
.
Não há como discordar da terceira queda, tentando nos enganar que ela nunca ocorrerá, já que isso também é uma certeza - que como tantas outras - não teremos.
.
O que eu espero, e digo ao amigo Thiago, é que tenhamos sabedoria para lidarmos com as bases onde alicercamos nossa vida. E que se um dia a queda ocorrer, que consigamos lidar com as circunstâncias, de forma ao Amor continuar vivo em nossos corações...
.
Volto a propôr: Que tal conversamos com o Osvaldo para descobrirmos qual a formula mágica para do relacionamento dele com a dignissíma Bel??
.
Alan Buchard

2 comentários:

  1. Carolina Medeiros22 de junho de 2009 19:28

    Creio que quando se tem amor, as coisas ficm mais "fáceis" na vida. Mas em determinadas situações, quando vc cai por amor, é doloroso. Uma afirmação de que se escolheria o amor ao invés do conhecimento, é uma afirmação...sei lá...digamos difícil. O amor às vezes, é capaz de nos trair, e pode ocorrer a decepção.
    Cair, gera uma mudança que, na maioria das vezes, não estamos preparados, pois teremos que nos adaptar para que possamos nos reerguer de novo, e vou confessar: é muito doloroso cair e ter que levantar.
    Temos que fazer escolhas certas para alicersarmos a nossa vida, escolhas que lá na frente terão influências.
    Cai e estou me levantando de novo, levei uma rasteira que foi muito dolorido sentir, não sabia por onde eu iria recomeçar a minha vida. A perda de um noivo que eu tanto amava e que jamais pensei que fosse acabar e a doença do meu pai, que me transformou em uma pessoa forte.
    Mas o amor, ele sempre estará vivo em nós, e estaremos sempre dispostos a encontrar o nosso.

    Carolina Medeiros.

    ResponderExcluir
  2. Carolina, obrigado por participar...
    espero recebermos mais contatos seus sempre que possível...

    ResponderExcluir